HC pede que greve não afete retomada de cirurgias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Com cerca de 700 cirurgias remarcadas no Hospital de Clínicas da Unicamp, o superintendente da unidade, João Batista de Miranda, teme que a paralisação dos funcionários piore ainda mais a situação. Os procedimentos começaram a ser reagendados nos últimos 30 em decorrência de problemas nos equipamentos de esterilização, que já foram trocados.

Mas a preocupação é que a normalidade no hospital ainda demore a ser retomada devido ao fechamento de salas do centro cirúrgico promovido pela greve dos trabalhadores da universidade. Nesta terça-feira, por exemplo, pelo menos 30 por cento das atividades do setor foram paralisadas e a previsão é que duas salas permaneçam fechadas. Por esse motivo, segundo o superintendente, o comando do movimento já foi informado sobre a situação. A expectativa é que os trabalhos no local sejam normalizados nos próximos dias.

A previsão dos trabalhadores, no entanto, é que a redução de 30% no efetivo seja aumentada gradualmente até chegar a 70%. A decisão foi tomada em assembleia. Os funcionários da Unicamp entraram em greve no dia 23 de maio, após a decisão do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas de não conceder reajustes nos salários.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
DESCARTADOS
0
INVESTIGADOS
0
CONFIRMADOS
0 0
MORTES
Play Video

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também