Du Cazellato, do PSDB, vence Eleição Suplementar de Paulínia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Du Cazelato assumiu a prefeitura de Paulínia (Foto: Divulgação/Prefeitura de Paulínia)

Du Cazellato, do PSDB, foi eleito o novo prefeito de Paulínia, com 13.119 votos. Ele obteve 26,99% da preferência dos eleitores, numa disputa acirrada com a segunda colocada nas urnas, Nani Moura, do MDB, com 23,06% .

Tuta, do PPS, ficou em 3º, com 19,51%, seguido de Loira, do DC, com 11,39%, Capitão Cambuí, PSL, 8,97%, Coronel Furtado, PSC, 3,94%, Ângela Duarte, PRTB, 2,49%, Custódio Campos, PT, 2,17%, Marcelo Barros, PSOL, 1,49%. Votos brancos, 3,91% e nulos, 6,80%.

A diplomação de Du Cazelatto e do vice, Sargento Camargo, será no dia 4 de outubro. O novo prefeito vai assumir a chefia do executivo, na 13ª troca de prefeitos na cidade, em em 6 anos.

Du Cazellato chegou a ocupar o posto de prefeito, após a cassação de Dixon Carvalho, do PP, e do vice Sandro Caprino, do PRB, no fim do ano passado, acusados de abuso de poder econômico e arrecadação ilícita de recursos na campanha de 2016. Na época, Du Cazellato era presidente da Câmara e, por isso, foi empossado. Ele, agora, vai voltar a governar a cidade por um curto período, ficando no cargo até 31 dezembro de 2020.

A cidade conta desde novembro de 2018 com a administração interina de Loira no posto de prefeito, que também concorreu nesta Eleição Suplementar, que foi marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo por causa da cassação ocorrida no fim do ano passado.

Mas, Paulínia vive uma crise política desde 2012, quando o ex-prefeito, Edson Moura, lançou candidatura, que foi barrada pela lei da ficha limpa, por suspeita de compra de votos. Ele, então,  acabou renunciando um dia antes de concorrer e o filho dele o substituiu. Mas, como não havia tempo para mudança na urna, a foto que apareceu foi a do pai. Edson Moura Júnior foi eleito no dia 7 de outubro de 2012. No entanto, o Ministério Público Eleitoral considerou a eleição ilegal, alegando manobra para transferir votos de pai para filho.

O registro de Moura Júnior foi impugnado e ele foi substituído pelo segundo mais votado, José Pavan Júnior. Então, começou uma briga judicial com idas e vindas no cargo, até Edson Moura Júnior ser cassado definitivamente em fevereiro de 2015. Então, Sandro Caprino, presidente do Legislativo na época, foi prefeito por dois dias, até o 2o. colocado, Pavan Júnior, ser chamado novamente.

Ele ficou no cargo até o fim do mandato, dando lugar a Dixon Carvalho, que assumiu a prefeitura em janeiro de 2017. Dixon Carvalho e o vice foram cassados em novembro de 2018 e mais uma troca de prefeito ocorreu. O presidente da Câmara de Vereadores, Du Cazellato foi empossado.

Com a nova eleição da mesa-diretora da Câmara de Vereadores de Paulínia, um novo capítulo na troca de cadeiras teve início. Por ter sido eleito presidente da Câmara, o vereador Loira entendeu que teria direito ao cargo de prefeito, que ainda pertencia ao antigo presidente da casa, Du Cazellato, que por sua vez não abriu mão do cargo.

Houve uma briga judicial, com mais idas e vindas entre os dois políticos, até o Tribunal Regional Eleitoral deferir uma liminar favorável ao Loira, que assumiu em 23 de janeiro, na 12ª troca e o sétimo político no cargo de prefeito de Paulínia desde 2013.

 

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também