Black Friday deve movimentar R$ 450 milhões na RMC

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Flávio Botelho

As lojas do comércio varejista de Campinas abriram as portas mais cedo nesta Black Friday. Para atender o consumidor em busca das grandes ofertas, o horário foi estendido até às 22 horas. A movimentação no calçadão da Rua Treze de Maio começou bem de manhã. Apesar da abertura das lojas ser programada para 8 horas, muitas delas abriram com duas horas de antecedência. Outras estão funcionando desde a meia noite.

A auxiliar de serviços gerais, Silvana Egídio, mora no Parque Itajaí e aproveitou as ofertas para abastecer o estoque de fraldas descartáveis. “Valeu muito a pena. Está muito barato”, disse. A dona de casa Edilene Faria, também se deslocou até o centro da cidade para aproveitar as ofertas e voltou para casa satisfeita com o que gastou. “No que eu gastaria R$ 300, eu gastei R$ 180. Realmente fiquei muito satisfeita”. afirma.

De acordo com o assessor do Procon, Francisco Togni, o consumidor tem que ficar muito atento com os preços ofertados na Black Friday, tanto nas lojas físicas quanto nas virtuais para não cair em armadilhas. “Nas lojas físicas, é importante que se verifique a política de troca da loja. A atenção tem que ser redobrada, buscando sempre a verificação sobre o desconto, se ele realmente existe. Sobre as lojas virtuais, é importante verificar se as empresas tem CNPJ”, explica.

O técnico em refrigeração Adilson Vilas Boas, estava em busca de um smartphone, mas não ficou convencido com as ofertas anunciadas.  Quem também não ficou convencido com os preços ofertados  foi o pedreiro Damião de Jesus. “Estou pesquisando faz um mês, mas por enquanto o que estou vendo é a chamada black fraude”, diz. De acordo com os dados da Associação Comercial e Industrial de Campinas, a Acic, a Black Friday deverá movimentar algo em torno de R$450 milhões  na RMC , sendo que 45% do montante, em Campinas. O faturamento estimado é 30% maior que o registrado no ano passado. Ainda segundo a Acic os itens da linha branca, roupas , televisores e smartphones estão entre os mais procurados pelo consumidor.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também