Black Friday deve movimentar R$ 450 milhões na RMC

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Flávio Botelho

As lojas do comércio varejista de Campinas abriram as portas mais cedo nesta Black Friday. Para atender o consumidor em busca das grandes ofertas, o horário foi estendido até às 22 horas. A movimentação no calçadão da Rua Treze de Maio começou bem de manhã. Apesar da abertura das lojas ser programada para 8 horas, muitas delas abriram com duas horas de antecedência. Outras estão funcionando desde a meia noite.

A auxiliar de serviços gerais, Silvana Egídio, mora no Parque Itajaí e aproveitou as ofertas para abastecer o estoque de fraldas descartáveis. “Valeu muito a pena. Está muito barato”, disse. A dona de casa Edilene Faria, também se deslocou até o centro da cidade para aproveitar as ofertas e voltou para casa satisfeita com o que gastou. “No que eu gastaria R$ 300, eu gastei R$ 180. Realmente fiquei muito satisfeita”. afirma.

De acordo com o assessor do Procon, Francisco Togni, o consumidor tem que ficar muito atento com os preços ofertados na Black Friday, tanto nas lojas físicas quanto nas virtuais para não cair em armadilhas. “Nas lojas físicas, é importante que se verifique a política de troca da loja. A atenção tem que ser redobrada, buscando sempre a verificação sobre o desconto, se ele realmente existe. Sobre as lojas virtuais, é importante verificar se as empresas tem CNPJ”, explica.

O técnico em refrigeração Adilson Vilas Boas, estava em busca de um smartphone, mas não ficou convencido com as ofertas anunciadas.  Quem também não ficou convencido com os preços ofertados  foi o pedreiro Damião de Jesus. “Estou pesquisando faz um mês, mas por enquanto o que estou vendo é a chamada black fraude”, diz. De acordo com os dados da Associação Comercial e Industrial de Campinas, a Acic, a Black Friday deverá movimentar algo em torno de R$450 milhões  na RMC , sendo que 45% do montante, em Campinas. O faturamento estimado é 30% maior que o registrado no ano passado. Ainda segundo a Acic os itens da linha branca, roupas , televisores e smartphones estão entre os mais procurados pelo consumidor.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
DESCARTADOS
0
INVESTIGADOS
0
CONFIRMADOS
0 0
MORTES
Play Video

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também