Pesquisa da Unicamp usa vírus da zika contra câncer de próstata

Foto: Divulgação / Governo do Estado de São Paulo

Após revelar de modo pioneiro o potencial do vírus zika em combater tumores cerebrais, um grupo de pesquisa da Unicamp mostrou que o agente causador da doença pode ser uma arma contra o câncer de próstata.

Experimentos realizados por um grupo liderado pelo professor da Faculdade de Ciências Médicas, Rodrigo Catharino, mostraram que o zika, mesmo após ser inativado por alta temperatura, é capaz de inibir a proliferação das células tumorais, conforme relata o professor. “Vendo a qualidade dessas células, como elas se reproduziam, a gente observou que elas eram muito próximas às celular como são desenvolvidas pelo câncer, o zika ele tem uma atração natural pelo sistema reprodutor, e foi assim que desenvolvemos a ideia”.

A linha de pesquisa coordenada por Catharino teve início em 2015, quando foi descoberta a relação entre a epidemia de zika e o aumento nos casos de microcefalia nos estados do Nordeste. “Estamos com essas células mas agora com vírus inativado, no começo testamos vírus selvagem, a gente não sabia que esse vírus mesmo inativado poderia ter uma atração pelas células cancerígenas, mas teve, e mesmo assim ele tem uma ação sobre essas células, ele é capaz de diminuir o tumor”.

Depois que estudos confirmaram a capacidade do agente de infectar e destruir as células, os experimentos se sucederam, até a conclusão de que ele poderia ser utilizado no tratamento do câncer.

Segundo Catharino, não há risco no uso do vírus da zika no tratamento, tanto para a pessoa que fará uso, quanto para outras pessoas, pois não há risco de transmissão. “Na primeira pesquisa que era com vírus selvagem existia (risco) sim, nesse caso como a gente inativou o vírus não tem, pois ele não vai ser um agente infectante, ele não vai se replicar dentro das células, então inativado ele vai funcionar como um tratamento, um medicamento”, explica.

O professor afirma que o estudo abre muitas portas para que novos medicamentos utilizando o vírus da zika possam ser desenvolvidos. “Novos medicamentos utilizando zika podem ser descobertos a partir desse estudo, então ele abre muitos caminhos, muitas portas. Agora a gente precisa acertar dose, sistema pelo qual vamos introduzir no laboratório e também acertar”.

Além do professor Rodrigo Catharino, participam da pesquisa os estudantes de doutorado Jeany Delafiori e Fernando Odir Rodrigues Melo.

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Por orientação de advogado, Zé Carlos não comparece à sessão da Câmara

No dia em que foi deflagrada a Operação Lambuja, com mandados de busca e apreensão na Câmara e endereços ligados ao vereador Zé Carlos (PSB), o presidente do Legislativo foi orientado pelo advogado dele, Ralph Tórtima Stettinger Filho, a não comparecer à Sessão Ordinária desta quarta-feira.

A sessão desta quarta, no Teatro Bento Quirino, é presidida pela vice-presidente da Casa, Débora Palermo (PSC).

Vereadores de oposição apresentam pedido de investigação contra Zé Carlos

Os vereadores Nelson Hossri (PSD) e Marcelo Silva (PSD) apresentaram nesta quarta-feira um pedido de Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar os fatos envolvendo a suposta cobrança de vantagens indevidas para manutenção ou prorrogação de contratos de empresas terceirizada pelo Legislativo por parte do Presidente da Câmara, o vereador Zé Carlos (PSB).

A defesa de Zé Carlos alega inocência do vereador.

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.