O clássico lp Acabou o Chorare

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Lançado  em 1972 esse lp propôs um interessante elo entre dois gêneros a princípios antagônicos o rock e o samba...são canções marcantes que colocaram o grupo Novos Baianos no  panteão da memória musical brasileira através do excelente projeto intitulado Acabou o Chorare.

Esta edição é uma homenagem a obra e a vida de  Moraes Moreira que nos deixou em 13 abril !

Lançado  em 1972 esse lp propôs um interessante elo entre dois gêneros a princípios antagônicos o rock e o samba…são canções marcantes que colocaram o grupo Novos Baianos no  panteão da memória musical brasileira através do excelente projeto intitulado Acabou o Chorare.

João Gilberto que foi o mentor do projeto sugeriu a musica Brasil Pandeiro de Assis Valente que se transformou numa bela aula de dinâmica que começa com o violão sincopado de Moraes Moreira e Pepeu Gomes na craviola   pra voz de Baby Consuelo e Paulinho Boca da Cantor até atingir uma explosão de brasilidade.

Fundamentados na cultura hippie toda a trupe saiu de uma cobertura em Botafogo  e se refugiou no Cantinho do Vovô um sítio na região oeste do Rio . E neste lugar a combinação : praia,  futebol, ensaios ao ar livre sem preocupação com o volume e o horário entre outras diversões serviu de alicerce para construção  do disco Acabou o Chorare.

O lado rock do  virtuoso Pepeu Gomes foi o contraponto desse projeto  e o que ajudou muito foi o seu interesse de buscar novos efeitos e auxiliado pela criatividade de um técnico de áudio,  Pepeu Gomes usou um capacitor de uma antiga TV para obter o efeito estridente em sua guitarra.

Já o nome do disco foi um belo exemplo de como o grupo vivia de forma acolhedora . Em visitas ao sítio João Gilberto  levava a sua filha a então garotinha e  hoje cantora internacional Bebeu Gilberto que após levar um tombo rapidamente  sempre dizia  Acabou  o Chorare para se livrar de uma bronca certa do pai.

Na época a recém inaugurada gravadora  Som Livre através do produtor e futuro dono João Araujo pai de Cazuza  apostou naquele som que transbordava originalidade e o resultado foi extremamente recompensador  o LP Acabou o Chorare foi líder de vendas  e execução  radiofinca  por 30 semanas.

Com o estrondoso sucesso do grupo  vários programas de TV foram até o Cantinho do Vovô mostrar quem eram e como viviam os Novos Baianos e rendeu na época o documentário  Novos Baianos Futebol Clube dirigido por Solano Ribeiro e recentemente em 2011 foi lançado um outro documentário de Henrique Dantas , Filhos  de João – O Admirável Mundo Novo Baiano .

E com a música  um  Bilhete pra Didi com o conjunto a Cor do Som que a parte instrumental dos Novos Baianos que esta edição fica por aqui .

 

Confira esta edição

 

 

entre em contato

musicaecultura@cbncampinas.com.br

Produção

Walmir Bortoletto

Edição

Paulo Girardi

 

 

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
CURADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES
Play Video

Ao vivo

CBN Campinas

99,1 FM

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

A volta por cima do rapper Dexter

Em 2005 lançou o seu primeiro disco que trazia  a música Fênix, que não por acaso fala de renascer das cinzas.  A analogia com a vida do próprio Dexter fazia sentido. De origem humilde e com passagem criminal, ele tinha tudo para se afundar , mas escolheu vira o jogo da sua história.

Fela Kuti e seu Afrobeat

Ele poderia ter se tornado um guerrilheiro, mas ao invés de apontar armas de fogo contra a ditadura nigeriana,   ele denunciou  os abusos através  de

O retrocesso da sociedade segundo a banda Devo

O nome Devo, veio da abreviação de uma  palavra que eles   inventaram Desevolution , que seria um retrocesso que a sociedade estava vivendo.  Com tamanha complexidade muitas vezes a banda era mal compreendida inclusive com a  censura na mídia.

Memórias da Rabeca entra na programação on-line do Sesc

Na peça, a rabeca torna-se a voz, os pés e as mãos do ator que a toca. Já o ator, por sua vez, torna-se a vibração de suas cordas e sua música em uma obra de resistência poética por meio da palavra, do som e do corpo. O espetáculo on line tem dramaturgia da Cia. Mundu Rodá e direção de Juliana Pardo.