Adaptação é desafio para passageiros de ônibus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Valéria Hein

Com mais de três meses de quarentena, o usuário de transporte coletivo está entre os que mais precisaram se adaptar às normas e protocolos de higiene e segurança. Em Campinas, o passageiro só embarca se estiver com máscara e a aferição da temperatura é obrigatória nos terminais, quando solicitada.

A frota de ônibus tem sido constantemente redimensionada para evitar aglomerações. No entanto, a regra é que a utilização de coletivos só ocorra em extrema necessidade. Além do uso da máscara, foi preciso se adaptar também à constante higienização das mãos e, na hora de tossir ou espirrar em local público, os cuidados tiveram que ser redobrados, cobrindo o nariz e a boca.

Para Goreth Amorim, é realmente muita informação, mas ela defende que haja conscientização e esforço de todos. A tendente Noemi Priscila tem arritmia e, por isso, muita dificuldade com o uso da máscara, que se torna sufocante. Mesmo assim, não deixa de usar. Ela também se adaptou à rotina de utilizar os totens de álcool em gel disponibilizados pela prefeitura no Terminal Central.

A dona de casa Geilza dos Santos só tem utilizado o transporte público em extrema necessidade, mas quando utiliza percebe que muita coisa mudou nos últimos três meses. Nos terminais, a máscara tem sido utilizada por praticamente 100% dos passageiros.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
CURADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também