A reinvenção de João Donato

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Nascido em 1934 em Rio Branco no Acre João Donato de Oliveira Neto é hoje um nome muito requisitado em estúdio além de apresentações ao vivo. Muito diferente do João Donato de 50 anos atrás que  teve um inicio de carreira produtivo mas que aos  poucos foi sendo colocado de lado em função do exagero nas improvisações.

Ele foi um dos que  fizeram parte da geração pré-bossa nova. O seu moderno estilo de tocar chamou a atenção de nomes como Tom Jobim e João Gilberto que inclusive tinha afirmado que sua técnica ao violão tinha sido fortemente influenciada pela criatividade do multi-instrumentista João Donato.

Nascido em 1934 em Rio Branco no Acre João Donato de Oliveira Neto é hoje um nome muito requisitado em estúdio além de apresentações ao vivo. Muito diferente do João Donato de 50 anos atrás que  teve um inicio de carreira produtivo mas que aos  poucos foi sendo colocado de lado em função do exagero nas improvisações.

João Donato descobriu o seu espaço no inicio da década de 60 nos Estados Unidos  e levou o seu estilo de tocar inventivo  e acima de tudo original aos conjuntos de jazz latino e mambo.

Ele também formou o  João Donato Trio junto com Milton Banana na bateria e Tião Neto no contrabaixo essa parceria marcou toda uma geração de músicos  e foi fundamental para o inicio do sucesso de Sergio Mendes.

Acordeom, piano, trombone o que cair em suas mãos . João Donato respira musica e os seus temas instrumentais que sempre foram a sua grande referencia a partir de 1971 começaram a ganhar letras .

No inicio dos anos 90 depois de uma lacuna de 20 anos todo o swing de João Donato passou a ser resgatado pelos mais novos e ele nunca fez nenhum tipo de concessão a princípios musicais podendo tocar com a Orquestra Sinfônica da Rússia a Fernanda Takai do Pato Fú e Marcelo D2 até Paula Lima. E só em 2005 João Donato gravou  o seu primeiro DVD chamado Dó Natural e em 2010 recebeu o Grammy Latino pelo projeto Sambolero .

No final das contas quem poderia se esconder atrás do  estigma de artista mal compreendido  nunca quis vestir essa carapuça e tão pouco perseguiu o sucesso . Segundo o escritor Rui Castro se depois de tanto tempo hoje ele cultuado no Brasil e lá fora talvez quem tenha sim se modernizado ao longo desses anos seja  o publico.

 

Acompanhe esta edição

entre em contato

musicaecultura@cbncampinas.com.br

produção

Walmir Bortoletto

edição

Paulo Girardi

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
DESCARTADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES
Play Video

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Cantora Áurea Martins celebra 80 anos no palco do Sesc

No repertório canções de Lupicínio Rodrigues, Dolores Duran, Délcio Carvalho, Dona Ivone Lara, Johnny Alf, Hermínio Bello de Carvalho, Moacyr Luz e Cartola. Áurea é reconhecida por novos cantores da MPB e pelos grandes nomes da música, e continua apresentando seus shows e participando como convidada de projetos de outros artistas, como o grupo Casuarina, as cantoras Teresa Cristina, Fabiana Cozza, Mônica Salmaso, entre outros. Nascida Áldima Pereira dos Santos, se transformou em Áurea na década de 60 por iniciativa dos atores Mário Lago e Paulo Gracindo, que a levou para a Rádio Nacional.

O presente e o futuro do maior evento de cultura pop do mundo

O Brasil já é considerado o país com a maior convenção sobre cultura pop do mundo. A CCXP (Comic Con Experience), só no ano de 2019, reuniu 280 mil pessoas em um espaço de 115 mil M2. Marcelo Forlani, um dos fundadores do Grupo Omelete, fala sobre história, a evolução e os novos desafios do maior evento Nerd do mundo. Ouça o podcast Transformação Digital CBN, apresentado por Samuel Leite.