Número de casos em Campinas é 3,8 vezes maior

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A Secretaria Municipal de Saúde de Campinas estima que, até 20 de junho, mais de 27 mil moradores da cidade tiveram contato com o novo coronavírus, número 3,8 vezes maior que o total de confirmações, também segundo a secretaria. O dado foi obtido por meio de um inquérito sorológico realizado pelo Departamento de Vigilância em Saúde em parceria com o Departamento de Saúde Coletiva da Unicamp.

No inquérito foram aplicados 1.937 testes rápidos em moradores de todas as regiões da cidade, que foram escolhidos por sorteio. Os testes foram aplicados entre 9 e 20 de junho. O Secretário Municipal de Saúde de Campinas, Dr. Cármino de Souza, deu detalhes sobre a pesquisa. “É uma ação da Vigilância Epidemiológica que visa obter as informações pormenorizadas da circulação do novo vírus, através de um teste rápido, imunológico, e não o teste do PCR. Isso é como uma pesquisa eleitoral, quer dizer, a gente não precisa ter todos os votos para saber quem vai ganhar”, explicou.

Com base no percentual de infectados observado, que foi de 2,2%, foi possível estimar quantos moradores de Campinas já tiveram contato com o coronavírus e desenvolveram anticorpos. Carmino destacou que o índice estimado de infectados varia de acordo com a região da cidade. “A prevalência não é homogênea na cidade, na região Leste é de 1.18%, na Norte 2,5%, na Noroeste 3,68%, Sudoeste 2,27% e a Sul 1,98%, sendo que a média de prevalência na cidade é de 2,22%.”

Conforme citado pelo secretário, a região mais afetada na cidade, segundo o inquérito sorológico, é a Noroeste, tanto em termos percentuais quando em números absolutos. Segundo o inquérito 3,6% dos moradores da região, que engloba o distrito do Campo Grande, tiveram contato com o novo coronavírus, um total de quase 6,7 mil pessoas. Já o melhor resultado foi observado na região Leste, com 1,1% de infectados, número que representa pouco mais de 3 mil moradores. É na região Leste que ficam alguns bairros rurais, além dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio.

É possível concluir que há uma subnotificação maior na região Noroeste quando os números da pesquisa são comparados com o de casos confirmados, uma vez que a região é a com menos confirmações em toda a cidade. Já a Região Leste é a segunda com mais casos confirmados, ficando atrás somente da região Sul, que é a mais populosa de Campinas, e compreende bairros como Parque Prado, Jambeiro, Swift, Campo Belo, entre outras.

O inquérito também apontou que 2,6% dos homens testados tiveram contato com o novo coronavírus, enquanto para as mulheres o índice foi menor: 1,9%. A idade média dos que testaram positivo é 49 anos. Outro dado apresentado trata dos cuidados na prevenção à covid-19. O número de infectados dentre os que afimaram utilizar máscara sempre é de 1,6%, contra 6,7% que disseram usar máscara às vezes. O mesmo vale para o uso de álcool gel 70%: Dos que disseram utilizar, 2% tiveram resultado positivo, enquanto 5,9% dos que afirmaram não ter esse costume testaram positivo.

Na avaliação da Prefeitura, o fato de existirem 3,8 vezes mais pessoas infectadas do que o número oficial é um dado positivo, uma vez que subnotificação no Brasil é maior, ficando entre 7 e 10 vezes mais que o número oficial de casos, também de acordo com a prefeitura.

 

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
DESCARTADOS
0
INVESTIGADOS
0
CONFIRMADOS
0
MORTES
Play Video

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também