Estudo liga casos graves de covid-19 a obesidade

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

Um estudo coordenado por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas, sugere que os tecidos adiposos são suscetíveis à infecção pelo vírus Sars CoV-2. Essa seria uma das razões da maior evolução de casos graves de covid-19 em pessoas obesas e idosas. A hipótese é a de que o tecido adiposo serviria como um reservatório para o SARS-CoV-2.

Segundo os pesquisadores, as células adiposas estão espalhadas por todo o corpo e os obesos as têm em quantidade maior. Com mais e maiores adipócitos, as pessoas obesas tenderiam a apresentar uma carga viral mais alta. Outro ponto, de acordo com o estudo, é que a infecção na célula de gordura é mais eficiente quando ela está mais envelhecida, o que sugere a gravidade em pacientes idosos.

O Presidente da Rede Mário Gatti, Marcos Pimenta, acredita nessa possibilidade. Segundo ele, os dados científicos e estatístico nos próprios hospitais da rede apontam para essa prevalência. Ele explica que além do processo inflamatório cronico que derruba a resistência o obeso desenvolve outras comorbidades, o que aumenta o risco para a gravidade da Covid-19. Já entre os idoso, a capacidade de resposta no combate aos vírus é menor pela própria característica da resposta do organismo, além disso, há também as comorbidades comuns nessa camada da população.

O estudo coordenado por pesquisadores da Unicamp, sobre a maior evolução de casos graves de Covid-19 em pessoas obesas e idosas,ainda não foi publicado e deverá ser ampliado pelos pesquisadores. Os experimentos estão sendo feitos em laboratório com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, a Fapesp.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.