Nova Odessa fecha parte do hospital de campanha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Divulgação / Prefeitura de Nova Odessa

A Prefeitura de Nova Odessa desativa nesta quarta-feira (23) parte da estrutura onde funciona o hospital de campanha da cidade. Toda a parte móvel, que é alugada, será removida e o atendimento continuará sendo feito no prédio que compõe a unidade, que funciona na antiga Unidade Básica de Saúde do Jardim Alvorada.

Com a redução da estrutura, o local passará a contar com oito leitos, sendo seis para internação – cinco com respiradores e monitores multiparâmetros – e dois para pacientes em observação.  No entanto, de acordo com a informações da Secretaria de Saúde, o espaço poderá acomodar até 15 pessoas, em caso de necessidade.

Segundo a secretaria, a desmontagem da estrutura móvel do hospital de campanha vai diminuir as despesas do município com a manutenção do espaço, que tem custo de cerca de R$ 370 mil, incluindo insumos, EPIs (equipamentos de proteção individual), funcionários e transporte de pacientes para outras unidades da região.

Em funcionamento desde 24 de abril, o hospital de campanha de Nova Odessa ultrapassou a marca de sete mil pacientes atendidos nesta terça-feira (22). Foram 213 internações, 102 transferências para hospitais da região e da capital paulista e 597 exames, entre radiografia (304), tomografias (225) e eletrocardiogramas (68).

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Desemprego cresce 31,85% em Campinas

Um levantamento da ACIC, com base nos dados do CAGED, apontou que em 2020 o desemprego em Campinas cresceu 31,85% , na comparação com 2019. O ano de 2020 fechou com 108.662 trabalhadores sem emprego. Em 2019, eram 82.413. No entanto, o Secretário Municipal de Trabalho e Renda, Gustavo Di Tella Ferreira, acredita que com o avanço da vacina, haverá aos poucos a retomada no emprego.