Preços do arroz e do óleo voltam a subir

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Nos supermercados de Campinas, os preços desses produtos, na comparação com os valores encontrados há duas semanas, tiveram aumento, principalmente o arroz e do óleo se soja. No Cambuí, onde o arroz 5 kg tipo 1 chegou a ser encontrado por  R$ 17 no dia 11 de setembro, nesta quinta-feira estava entre R$ 21 e R$ 24, com limitação de venda de duas unidades por CPF.
Foto: Valéria Hein

O IPCA de setembro, divulgado nesta quarta-feira, ficou em 0,45% e o preço do arroz, que subiu 100% no início de setembro, teve nova alta, de 9,96%. Outros produtos que subiram muito há 15 dias, também voltaram a subir de preço. O óleo de soja, 20,33% e o leite longa vida 5,59%. A boa notícia fica para o feijão, que teve queda no preço de 3,85%.

Nos supermercados de Campinas, os preços desses produtos, na comparação com os valores encontrados há duas semanas, tiveram aumento, principalmente o arroz e do óleo se soja. No Cambuí, onde o arroz 5 kg tipo 1 chegou a ser encontrado por  R$ 17 no dia 11 de setembro, nesta quinta-feira estava entre R$ 21 e R$ 24, com limitação de venda de duas unidades por CPF. Num supermercado do Jd, Guanabara, o produto continua com a mesma média de preço encontrada há duas semanas, de R$ 23, com venda limitada a 3 unidades por cliente. E num supermercado do centro da cidade, o arroz 5 kg tipo 1, que estava R$ 22,50, subiu para R$ 23, em média.

Outro produto encontrado com venda restrita é o óleo de soja, com limite de 2 unidades por cliente no Cambuí e 6 no Jd. Guanabara. No Cambuí, o óleo que custava R$ 6,00 em média, subiu para R$ 6,50. No Jd. Guanabara, o produto que estava a R$ 5,20, subiu R$ 1,00 em 2 semanas. No Centro, o preço se mantém estável, variando de R$ 6,00 a R$ 8,00.

Já, o Leite Longa Vida, continua com valores entre R$ 4,00 e R$ 4,80 no Cambuí. No Jd. Guanabara subiu de R$ 3,70 para R$ 4,00 e no Centro, continua com valores entre de R$ 3,80 e R$ 4,00. O feijão realmente teve queda de preço, conforme apontou o IPCA, de R$ 8,00 para R$ 7,80 num supermercado do Cambuí e de R$ 8,00 para R$ 7,70 no Jd. Guanabara. E num supermercado do centro, uma marca popular de feijão, que estava R$ 6,40, caiu para R$ 6,00.

De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados, o motivo do aumento nos preços é a alta do dólar, que incentiva as exportações para países asiáticos, no caso do arroz principalmente, além da maior demanda interna por alimentos gerada pela pandemia. E a restrição de venda ao consumidor, informada através de cartazes afixados nas gôndolas, tem como objetivo, de acordo com os supermercadistas, de evitar que haja compra excessiva e a consequente revenda com preços abusivos.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
CURADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também