Abert explica demora para migração do AM

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Divulgação

A  migração da rádio AM para FM continua emperrada, principalmente, no Estado de São Paulo. De acordo com  presidente da ABERT, a   Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, Flávio Lara Resende, as tratativas para  essa transformação estão sendo trabalhadas.

Ele explica que um dos problemas é que em centros maiores com São Paulo ainda não foi possível inserir todas as rádios dentro da faixa convencional. O grande desafio é fazer com que a migração não acabe com a rádio AM.

De acordo com  presidente da ABERT, a próxima etapa é a digitalização do rádio. No entanto, esse  processo só será  possível quando for definida uma solução para atender todas as cerca de três mil rádios existentes no país.

Para o  futuro o presidente da ABERT acredita  na  integração entre as  diferentes  plataformas. A radiodifusão brasileira celebra neste ano 98 anos de historia.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
CURADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também