Voluntários da CoronaVac não sabem se estão imunizados

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Flávio Botelho

Voluntários que participaram da pesquisa da CoronaVac, no Hospital de Clinicas da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, ainda não sabem se durante a pesquisa foram imunizados ou não.

O médico pediatra, Silvio José Morelli, é um deles. A informação é que após a liberação da vacina, que ocorreu no último, dia 10, os voluntários seriam chamados e avisados se haviam tomado durante a pesquisa a vacina ou o placebo.

O médico explicou, também, que entrou em contato com o grupo da Unicamp, mas, a única informação foi que os eles serão chamados, porém, não há uma data especifica.

O problema, segundo o médico, é que se saber se foi ou não imunizado, não pode receber a dose da vacina que já está disponibilizada para os profissionais que trabalham na linha de frente, atendendo os pacientes da Covid-19.Para ele o que está ocorrendo é uma verdadeira falta respeito com os voluntários.

Segundo o coordenador de assistência do Hospital das Clinicas da Unicamp, Plínio Trabasso, a quebra do cegamento tem que ser autorizada pelo Instituto Butantan. Ele acredita que alguns voluntários já foram avisados e garante que todos que receberam o placebo serão imunizados.

O problema enfrentado pelos voluntários que participaram da pesquisa da CoronaVac na Unicamp, se repete Instituto de Infectologia Emilio Ribas, São Paulo.  O Instituto Butantan informou que havia solicitado, na semana passada, ao Conselho Nacional de Ética em Pesquisa, o Conep, a quebra de sigilo do estudo clínico, mas somente na ultima quarta-feira recebeu aval da Anvisa para isso. Agora fica a cargo dos Centros de Pesquisa chamar individualmente cada um dos voluntários para informar se já estão imunizados ou se receberam o placebo. Neste caso a vacina para eles está reservada. No Brasil, mais de 2 mil voluntários em oito Estados participaram da pesquisa da CoronaVac.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Desemprego cresce 31,85% em Campinas

Um levantamento da ACIC, com base nos dados do CAGED, apontou que em 2020 o desemprego em Campinas cresceu 31,85% , na comparação com 2019. O ano de 2020 fechou com 108.662 trabalhadores sem emprego. Em 2019, eram 82.413. No entanto, o Secretário Municipal de Trabalho e Renda, Gustavo Di Tella Ferreira, acredita que com o avanço da vacina, haverá aos poucos a retomada no emprego.