Preço da gasolina dispara e revolta motoristas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
O preço da gasolina disparou nas bombas de combustíveis em Campinas e o preço cobrado deixou motoristas revoltados. Desde o início do ano, o preço médio de venda da gasolina às distribuidoras já subiu 22%, enquanto o diesel subiu 10,9%. Depois que a Petrobras anunciou dois aumentos no mês passado, a média nacional do combustível chegou a R$ 4,76 o litro, sendo o maior valor registrado desde 2013. O preço médio da venda de gasolina nas refinarias passa a ser de R$ 2,25 o litro, refletindo o aumento médio de R$ 0,17 o litro.
Foto: Danilo Braga

O preço da gasolina disparou nas bombas de combustíveis em Campinas e o preço cobrado deixou motoristas revoltados. Desde o início do ano, o preço médio de venda da gasolina às distribuidoras já subiu 22%, enquanto o diesel subiu 10,9%. Depois que a Petrobras anunciou dois aumentos no mês passado, a média nacional do combustível chegou a R$ 4,76 o litro, sendo o maior valor registrado desde 2013. O preço médio da venda de gasolina nas refinarias passa a ser de R$ 2,25 o litro, refletindo o aumento médio de R$ 0,17 o litro.

Em Campinas, na região central, o preço do combustível podia ser encontrado nesta terça-feira, 09, por até R$ 4,49. O valor, claro, deixou os motoristas assustados e revoltados, principalmente aqueles que trabalham com transporte. Mesmo que opta pelo etanol, não fica feliz com a situação. “Tô optando mais pelo etanol do que pela gasolina. Não tem como usar mais a gasolina”, disse um motorista. “Tá muito alto o preço. Não está nem compensando a gente trabalhar um absurdo mesmo”, completou outro que atua no transporte por aplicativo.

O Recap, sindicato dos donos de postos de combustíveis divulgou uma nota onde informa que o setor de revenda varejista de combustíveis é o elo mais competitivo de seu mercado, com mais de 41 mil postos em todo o país. Segundo os dados estatísticos da ANP, a margem média da revenda varejista de combustíveis, representa, aproximadamente, 9,8% do preço total e muito semelhantes às praticadas nos países desenvolvidos. Ainda de acordo com o Recap, os tributos representam, em média, 44% do valor da gasolina, 27% do diesel e 24% do etanol, encarecendo os preços.

O presidente da entidade, Flávio Campos, acredita que a única maneira de resolver o problema do preço dos combustíveis é através de uma reforma tributária. “Definitivamente, não são os postos que oneram o preço final dos combustíveis no Brasil. Mesmo que não houvesse os postos na cadeia dos combustíveis e fosse direto nas bases e nas refinarias, os preços seriam altos do mesmo jeito. Então, o que precisa ser feito com urgência é uma reforma tributária, que mude radicalmente esse cenário dentro do Brasil, que mais paga uma quantidade maior de tributos”, afirma.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.