Suspensão de aulas traz frustração e compreensão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Flávio Botelho

A suspensão das aulas presenciais nas redes pública e particular de Campinas trouxe frustração para boa parte das instituições, funcionários e alunos. Depois de praticamente um ano com o modelo de ensino a distância, as unidades criaram protocolos que seguiam as determinações do Centro de Contingência da Covid-19 e iniciaram as aulas presenciais com o revezamento dos alunos. Porém, o avanço nos indicadores da pandemia obrigaram estado e município a adotarem a fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva e que permite o funcionamento apenas das atividades essenciais, como farmácias e supermercados.

No entendimento estadual, as escolas podem funcionar com até 35% dos alunos, em esquema de revezamento. Mas em Campinas, a prefeitura optou pela suspensão das aulas presenciais, como uma das formas de se evitar o colapso na rede municipal de saúde. Neste caso, prevalece a determinação do município e desde a semana passada as aulas estão suspensas. Em alguns casos, as instituições de ensino se mostraram compreensivas com a decisão, mesmo acreditando que tinham condições de manter as atividades presenciais com restrição. É o caso do Oficina do Estudante. O diretor pedagógico da unidade, Antunes Rafael, afirma que entende a decisão do município, mas ressalta a frustração de pais, alunos e professores com a nova suspensão das aulas. “A grande expectativa de alunos e pais para que as aulas em 2021 fossem retomadas de forma presencial, tentando suprir aí toda a defasagem dessa socialização, todo o trabalho pedagógico ocasionado em 2020, em boa parte do ano. Então havia a expectativa por essa retomada. As escolas privadas, como um todo, se prepararam para o retorno. No entanto, é importante a gente frisar que a decisão das autoridades faz com que as escolas precisem seguir as orientações desses órgãos”, explica.

Inicialmente, as aulas seguem suspensas em Campinas até o dia 14 de março, período que vigora o decreto municipal que colocou a cidade na fase vermelha.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também