Cresce procura por carne de terceira e preços disparam

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Valéria Hein

Os cortes de carne de segunda e de terceira, como pé e pescoço de galinha, tiveram um aumento na procura por causa da alta geral em todos os tipos de carnes. Com isso, os carnes que até então eram uma opção mais barata para o consumidor, também acabaram subindo.

Segundo a consultoria Safras e Mercados, o pescoço de frango teve elevação de 15,79% em setembro na comparação com o mesmo mês de 2020. A carcaça temperada de frango subiu 45%, o dorso, 60%. E entre os suínos, o espinhaço subiu 23,91%.

Em Campinas, os dados se confirmam. De acordo com Igor Muniz, gerente de uma Casa de Carnes na Av. Benjamin Constant, a alta foi tão expressiva que não tem como repassar toda a diferença ao consumidor. “Então, a gente abaixa o valor do lucro e põe um valor acessível para todo mundo”.

A enfermeira aposentada, Ana Lídia, atribui como vergonhosa as constantes altas nos preços das carnes. “Uma pessoa com salário mínimo, que paga aluguel, para remédio, como vai fazer? Não tem nenhuma opção. Passa Fome. Uma vergonha”.

Os valores levantados pela CBN Campinas no centro de Campinas e Mercado Municipal apontam que o quilo do pé de galinha, que há um mês estava na faixa dos R$ 4,00, foi para R$ 8,00 em média.  O quilo da moela de frango subiu de R$ 7,00 para R$ 14,00 ou R$ 15,00, em média e o fígado do frango foi de R$ 4,00 para cerca de R$ 7,00 a R$ 8,00. No caso da carne de terceira suína, o espinhaço, também conhecido como Suan suíno, foi de R$ 3,00 para R$ 7,00.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.