Policiais confirmam disparos durante tumulto na Cracolândia

Foto: Agência Brasil

A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo vai acompanhar as investigações que apuram a morte de um morador de rua, na região da Cracolândia, em São Paulo.

Raimundo Nonato Fonseca Júnior, de 32 anos, morreu após levar um tiro no tórax. Ele morava em albergues da região central da capital mas era de Campinas. Vivia nas ruas de São Paulo desde 2019 devido à dependência de álcool e outras drogas.

Na última sexta-feira, três policiais do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) confirmaram que efetuaram disparos durante a operação policial realizada na noite da última quinta-feira para dispersar dependentes químicos do local.

Os policiais informaram que se reconheceram nas imagens da ação gravadas por moradores do entorno. Eles afirmaram, porém, que atiraram para o chão. Um perito também apresentou projéteis que indicam que as balas ricochetearam no chão.

Ainda não se sabe se outros disparos foram efetuados, fora os dos policiais, nem de onde partiu o tiro que atingiu Raimundo.

O caso será investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa, que aguarda a chegada do inquérito policial para iniciar as investigações.

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Por orientação de advogado, Zé Carlos não comparece à sessão da Câmara

No dia em que foi deflagrada a Operação Lambuja, com mandados de busca e apreensão na Câmara e endereços ligados ao vereador Zé Carlos (PSB), o presidente do Legislativo foi orientado pelo advogado dele, Ralph Tórtima Stettinger Filho, a não comparecer à Sessão Ordinária desta quarta-feira.

A sessão desta quarta, no Teatro Bento Quirino, é presidida pela vice-presidente da Casa, Débora Palermo (PSC).

Vereadores de oposição apresentam pedido de investigação contra Zé Carlos

Os vereadores Nelson Hossri (PSD) e Marcelo Silva (PSD) apresentaram nesta quarta-feira um pedido de Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar os fatos envolvendo a suposta cobrança de vantagens indevidas para manutenção ou prorrogação de contratos de empresas terceirizada pelo Legislativo por parte do Presidente da Câmara, o vereador Zé Carlos (PSB).

A defesa de Zé Carlos alega inocência do vereador.

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.