Falso advogado é encontrado pela Polícia Militar de Americana e é preso

Um homem foi preso em Americana usando documentos falsos. Ele foi abordado durante a “Operação Sufoco”, da Polícia Militar, que acontece em outras cidades, como aqui em Campinas. O homem foi abordado na Rua Dom Pedro, na região central de Americana. Ele já era conhecido pela equipe da polícia por uma ocorrência anterior. No carro, foram encontrados vários produtos que foram adquiridos no Paraguai. 
Foto: Divulgação/Polícia Militar

Um homem foi preso em Americana usando documentos falsos. Ele foi abordado durante a “Operação Sufoco”, da Polícia Militar, que acontece em outras cidades, como aqui em Campinas.

O homem foi abordado na Rua Dom Pedro, na região central de Americana. Ele já era conhecido pela equipe da polícia por uma ocorrência anterior.

No carro, foram encontrados vários produtos que foram adquiridos no Paraguai. 

Ele disse que não tinha notas fiscais ou documentos deles. Nisso, ao apresentar os documentos, mostrou uma carteira da Ordem dos Advogados do Brasil, se dizendo advogado.

Como os policiais já o conheciam, lembraram que, em abordagens anteriores, ele dizia que era empresário.

Na Central de Polícia Judiciária, foram feitas pesquisas na OAB de São Paulo e Brasil, e o nome dele não constava em nenhum dos bancos de dados.

O falso advogado ficou preso. Foram apreendidos US$ 16, 1.600 pesos, 172 mil Guaranis, vários cheques, totalizando R$ 2 mil e dois celulares.

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Polícia apreende 22 quilos de cocaína e prende homem

A Polícia Civil prendeu um homem de 24 anos que guardava cocaína e outras drogas e rádios comunicadores em um condomínio no bairro Satélite Íris, em Campinas.

Foram localizados 22 quilos de cocaína pura, e 259 porções prontas para o comércio. A polícia afirma que o homem é responsável por armazenar e vender drogas na região.

Justiça pede avaliação psiquiátrica de homem que matou 3 em ônibus de Piracicaba

A Justiça de Piracicaba pediu avaliação psiquiátrica do homem que matou três pessoas esfaqueadas e deixou outras três feridas em junho deste ano em um ônibus do transporte coletivo da cidade. O laudo dessa avaliação pode tornar o homem inimputável. Ou seja, se a Justiça considerar que o ataque foi por causa de uma crise de insanidade mental, José Antônio Santana Filho, de 52 anos, pode não responder pelos crimes.

GM apreende 1 tonelada de fios de cobre em Limeira

Durante patrulhamento de rotina, os agentes avistaram uma pessoa com uma ferramenta que é usada para cortar fios e cabos. 

Durante a abordagem, o suspeito indicou a casa onde o grupo guardava os itens roubados. 

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.