Idosa que foi esfaqueada em Piracicaba só soube da morte da filha depois da alta

Foto: Rafael Fioravante

A aposentada de 60 anos que estava internada após ser atingida a facadas dentro do ônibus em Piracicaba só soube da morte da filha dias depois que chegou em casa.

Ela é mãe de Adriana Coelho da Silva, de 42 anos, que acabou morrendo dentro do coletivo da linha 444, que liga o Terminal Central de Integração ao Terminal Vila Sônia.

A aposentada teve alta na quinta-feira, mas só soube do que aconteceu agora no fim de semana.

Enquanto isso, a filha de Adriana ficou sabendo da morte da mãe por imagens recebidas no WhatsApp.

Esse fato gerou uma carta aberta do tenente da Polícia Militar que atendeu a ocorrência, em que critica a divulgação de imagens desse tipo.

O crime aconteceu na terça-feira passada.

Também morreram no ataque, Roseli Ramalho Ferreira, de 55 anos, funcionária do Sindicato dos Metalúrgicos da cidade, e Valdemar da Silva Venâncio, de 68 anos.

José Antônio Santana Filho, de 52 anos, foi preso em flagrante, e está detido no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Campinas até o final das investigações.

O trabalho da Polícia quer saber se ele agiu por raiva ou teve um algum distúrbio mental.

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.