Combate à Covid-19 reduz rastreamento de cânceres em 30%

Foto: Arquivo/Prefeitura de Campinas

 

Nos últimos dois anos você ouviu as palavras “saúde”, “prevenção” e “exame” milhares de vezes. Mas enquanto os holofotes do sistema de saúde estavam sobre os casos de Covid-19 as demandas de pacientes oncológicos estacionaram.

Um estudo da Unicamp e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apontou que mais de um milhão e setecentos mil exames de rastreio de cânceres de mama e de colo do útero deixaram de ser feitos desde o início da pandemia.

De acordo com o pesquisador da Unicamp, Professor José Barreto Carvalheira, essa redução vai refletir nos números de óbitos nos próximos dez anos.

“Então, tivemos uma redução que chegou a um total de mais de 30% [de redução] dos exames. Além disso, a gente mostrou nesta pesquisa que houve uma redução também nos diagnósticos, e já conseguimos perceber aumentos de casos avançados. Isso é muito preocupante porque isso significa já alguma repercussão no aumento de mortalidade por câncer.”

Para voltar ao patamar pré-pandemia, Carvalheira afirma que o sistema de saúde precisa dobrar o número de atendimentos. 

“Tem que fazer mutirões de cirurgia. Foi feito agora pelo Governo do Estado, mas ainda não é suficiente. [Precisa] aumentar muito, praticamente uma vez e meia ou duas vezes o que tem de atendimento atual.”

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo
estimam um excesso de 156 casos de câncer de colo uterino no Estado de São Paulo em estágio avançado, quando a chance de cura é reduzida.

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.