Campinas confirma 1º caso de gestante com monkeypox

Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NAID)/Divulgação

A Secretaria de Saúde de Campinas confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos em uma gestante. No Brasil, trata-se do segundo caso de varíola dos macacos em grávidas.  

A paciente, de 37 anos, contraiu o vírus após ter contato direto, não sexual, com uma pessoa que apresentou lesões na pele e também recebeu diagnóstico da doença. A mulher não precisou de internação e não transmite mais o vírus. Ela e o bebê estão bem.

O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas confirmou o caso nesta sexta-feira (05), data que o município confirmou mais duas infecções e chegou a 20 casos de varíola dos macacos.

De acordo com o Devisa, 78% dos pacientes contraíram o vírus após ter relações sexuais com pessoas infectadas. Em 17% dos casos o departamento não conseguiu identificar a forma de transmissão; e 5% dos pacientes contraíram o vírus após contato próximo com pessoas infectadas.

A transmissão da varíola dos macacos acontece por contato direto com feridas na pele, gotículas (como tosse, espirro e beijo) e objetos contaminados (como roupas, toalhas e lençóis). 

A infectologista Raquel Stucchi afirma que as pesquisas sobre a doença ainda estão em andamento, por isso, é prudente manter o uso de preservativo durante relações sexuais e de máscara em ambientes com aglomerações.

“Não se sabe ainda se a transmissão sexual é possível e existe a orientação de que quem teve monkeypox mantenha o uso de preservativo por 12 semanas. Outro ponto é que é possível a transmissão respiratória. Isto justifica, inclusive, a orientação do Ministério da Saúde de que as pessoas que têm risco de doença grave, crianças, gestantes e imunossuprimidos, em locais fechados com muita gente e sem ventilação natural, usem máscaras.”

O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas orienta que as pessoas que apresentarem múltiplas lesões na pele devem procurar um serviço de saúde para receber o diagnóstico.

O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas orienta que as pessoas que apresentarem múltiplas lesões na pele devem procurar um serviço de saúde para receber o diagnóstico.

Outros sintomas são: dor no corpo, febre, dor de cabeça, calafrio, fraqueza e aumento de linfonodos (conhecidos como ínguas). 

Compartilhe!

Pesquisar

PODCASTS

Mais recentes

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Veja também

Reportar um erro

Comunique à equipe do Portal da CBN Campinas, erros de informação, de português ou técnicos encontrados neste texto.