Varejo na região de Campinas deve fechar o ano com faturamento superior a R$ 62 bilhões

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) estima que as vendas deste ano, na região de Campinas, alcancem R$ 62,2 bilhões, alta de 11%, em termos reais,sobre 2017, quando o faturamento foi de R$ 56 bilhões, 3% superior a 2016.

Com esse desempenho, a região de Campinas deverá ter a segunda maior participação nas vendas do varejo no Estado,entre as 16 regiões analisadas pela Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista, respondendo por 9% do faturamento anual total.

Já com relação ao mercado de trabalho, a região de Campinas deverá fechar o ano com uma queda de 446 vagas de empregos com carteira assinada. Esse saldo negativo será um resultado de 87.082 admissões contra 87.528 desligamentos. Dessa forma, o estoque ativo do setor na região atingirá os 199.242 vínculos trabalhistas, recuo de 0,2% em relação ao observado em dezembro do ano passado.

A FecomercioSP estima ainda que, entre as nove regiões avaliadas, as atividades de lojas de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento e de supermercados liderarão a geração de vagas, com 552 e 487 novos vínculos celetistas, respectivamente.

Por outro lado, os segmentos de lojas de vestuário, tecidos e calçados e de outras atividades são os que fecharão mais postos de trabalho,com encerramento de 908 e 697 empregos com carteira assinada.

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

CNI aponta espera de brasileiros por promoções

Pesquisa recém-divulgada pela Confederação Nacional da Indústria mostra que 71% dos brasileiros aguarda por promoções para adquirir bens como eletrodomésticos, móveis, veículos, celulares e eletrônicos.