O Blues Psicodélico de Muddy Waters

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Ele foi o grande responsável na transição do blues acústico para o elétrico. Mais do que simplesmente tocar mais alto, Muddy Waters  através de suas idéias musicais  propôs a configuração com  guitarra, gaita , piano e bateria. E desta forma surgiu  o chamado Chicago Blues.

E entre essas modificações Mckinley Morganfield, ou simplesmente Muddy Waters, lançou um projeto inovador o conceitual lp Electric Mud de 1968, com   um interessante  mergulho no típico som experimental do final dos anos 60.

O álbum Electric Mud desse bluesman nascido no Missippi em 1915. Foi Um projeto que escapou dos padrões para o blues tradicional. Fã da guitarra destorcida de Jimi Hendrix, Muddy Waters construiu uma  ponte para o chamado blues psicodélico.

A intenção do produtor Marshall Chess era despertar o interesse do  público mais jovem pelo blues. E  ele sugeriu que Muddy Waters aproveitasse a sonoridade do rock psicodélico da época, para desenvolver essa inusitada mistura.

O guitarrista e  cantor Muddy Waters,  sempre esteve rodeado de excelentes músicos e em Electric Mud a guitarra pesadíssima de Pete Cosey ajudou a dar o clima do disco. Projeto que alias obteve um desempenho ótimo nas vendas  com 150 mil cópias em apenas seis semanas.

Em  Electric Mud, Muddy Waters apresentou  uma releituras de alguns sucessos que marcaram sua  carreia. São canções emblemáticas que ganharam uma pegada mais intensa, com é o caso da mística I’m your hoochie coochie man

Muddy Waters iniciou sua carreira na década de 40 e influenciou o rock inglês dos anos 60. O nome da banda Rolling Stones foi uma referencia a uma canção do bluesman. A relação entre eles sempre foi a melhor possível , tanto que para este projeto o Rei do blues retribuiu com um  cover dos Stones 

Esse disco talvez soe estranho aos ouvidos mais  tradicionais. Porem  ele influenciou muitos artistas como o lendário Led Zeppelin e a até quem encontre nele um dialogo com o hip hop. 

Mas o que vale mesmo é que dentro do universo do blues o nome de  Muddy Waters que morreu  em 1983,  é sempre um dos mais citados pela sua contribuição ao fortalecimento e popularização do gênero. E é claro criatividade.

Confira esta edição

entre em contato

musicaecultura@cbncampinas.com.br

Produção

Walmir Bortoletto

Edição

Paulo Girardi

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
DESCARTADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES
Play Video

Ao vivo

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também

A black music inglesa dentro do formato Brit Funk

O termo brit funk foi usado para descrever esse novo som que as bandas estavam fazendo, mesmo com a forte influencia americana eles conseguiam manter  uma identidade , como  é caso do  Light of the World, uma super banda que tinha inúmeros  componentes  o estilo foi tão marcante que  vários de seus integrantes formaram outros  grupos.

A sonoridade de Jimi Hendrix

Segundo os teóricos, ruído é a ausência de comunicação. Mas para Jimi Hendrix, o que parecia ser um defeito técnico indesejável se transformou em forma de expressão ao incorporar o elemento da microfonia em seus arranjos e solos de guitarra. James Marshall Hendrix  nasceu em  Seatle em 1942. Fã de blues cresceu ouvindo BB king, Muddy Waters e Robert Johnson. Depois de ficar  um pouco mais de um ano na divisão de paraquedistas do exército,  Hendrix começou a trabalhar como músico contrato de vários  artistas como The Isley Brothers e  Little Richard.

Bossa Nova Turbinada!

No início dos anos 60 a bossa nova   começava  a formar  a sua segunda geração  de artistas.   E  Marcos Valle  com apenas 19 anos de