O lp que nos trouxe Djavan

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A sua mãe ao ver o nome escrito no casco de  um  navio  decidiu que iria chamar da mesma forma o seu filho. Além de um nome incomum o  seu estilo também não foi assimilado rapidamente. Muitos chegaram até dizer que sua música era estranha, mas o tempo que cuida de tudo e de todos soube harmonizar o seu destino como artista e assim  surgir Djavan.

O seu disco de estreia lançado em 1976  pela Som Livre foi uma aposta feita em um jovem e promissor cantor com um timbre inigualável alem de uma habilidade como letrista e compositor. Ele já tinha conquistado espaço como cantor  de trilhas de novelas. Mas  era um consenso entre os homens que decidem que o talento desse  alagoano que foi  para o Rio de Janeiro tentar a sorte tinha muito mais a oferecer.

É  uma tarefa complicada tentar rotular a musica de Djavan Caetano Viana com mais de 40 anos de estrada ele faz uma espécie de jazz brasileiro a sua música passa pelo samba, pop / rock, reggae, baião, bossa nova e ate blues  o  curioso é que já neste trabalho  de estreia que recebeu o nome de : A voz, o violão, a musica Djavan  já sinalizava o que ele faria em seus trabalhos futuros.

Todas as faixas desse projeto são de autoria de próprio Djavan , mas existia ali uma canção que muito alem de ser o grande  destaque o disco, viria se tornar um dos principais hits do artista como também entrar na galeria de clássicos da MPB.  A canção Flor de Lis que definitivamente mudaria o rumo de sua carreira.  Com isso ele passou a ser procurado por grandes artistas renomados que queriam  gravar as suas musicas.

Mas antes de atingir esse patamar  de reconhecimento Djavan  em diversas entrevistas e ate na biografia Roberto Carlos em Detalhes de Paulo Cesar de Araujo   relatou diversas experiências desagradáveis de preconceito  de sua raça ,  origem nordestina e até por  conta de sua aparência  no qual chegaram  a implicar  com as suas famosas tranças .

O olhar estrangeiro também se renderia  ao talento de Djavan com gravação  ao lado de  Steve Wonder  em 82 e até um contrato  com o badalado produtor norte americano Quincy Jones .  A gravadora  CBS chegou até a oferecer uma carreira  internacional, mas  Djavan achou que ficar perto de sua cultura já estava de bom tamanho.

O LP  A voz, o violão, a música de Djavan  mesmo sendo um trabalho de estreia que  normalmente traz uma série  de dificuldades pela falta de intimidade com todo o universo de uma  gravação não parece ter prejudicado Djavan .  O rapaz que sonhava ser jogador de futebol é teve contato com a  música através das canções que sua  mãe costumava cantar além  dos desafios de se tocar na noite  já trazia toda  uma  sofisticação musical e exímio domínio sobre a palavra .

Confira esta edição

 

entre em contato

musicaecultura@cbncampinas.com.br

Apresentação

Robson Santos

Produção

Walmir Bortoletto

Edição

Paulo Girardi

Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COVID-19

Casos de coronavírus em Campinas
0
CURADOS
0
CONFIRMADOS
0
INVESTIGADOS
0
MORTES

Mais recentes

Colunas

Fale com a gente!

WhatsApp CBN

Participe enviando sua mensagem para a CBN Campinas

Siga-nos

Veja também